Escola Regional de Catequese
Crédito da foto - Rebeca Suelen

Entre os dias 18 à 21 de janeiro de 2024, aproximadamente 160 catequistas do Regional NE2 se reuniram em Lagoa Seca-PB, onde 08 deles são representantes da Diocese de Garanhuns participaram da Escola Bíblico-Catequética  de Formação de Catequistas do Regional NE2. Representadas pelas paróquias:
Santo Antonio - Catedral (Gus), Perpetuo Socorro (Gus), 
Santo Antonio - Lajedo,
Área Pastoral Dom Helder Câmara -Paróquia Santa Tereza do menino Jesus (Gus), 
São Caetano - Caetés,  
e São Luiz Gonzaga - Paranatama.

A escola é formada por 04 módulos independentes, que acontecem a cada 06 meses, e o Curso de Aprofundamento. Este é o III Modulo intitulado Iluminação.  O grupo da Diocese de Garanhuns 06 catequistas participaram do III Módulo, dos quais 02 são formandos (os jovens Wedson Salatiel da Paróquia Sao Luiz Gonzaga - Paranatama  e Jefferson William da Paróquia de Santo Antonio - Lajedo) , e as outras 02 catequistas estão participando do curso de Aprofundamento. 

"Catequista é simultaneamente testemunha da fé, mestre e mistagogo, acompanhante e pedagogo que instrui em nome da Igreja." (Cons. Pont. para a Promoção da Nova Evangelização, Diretório da Catequese, 113) . E por isso é fundamental que se mantenha em formaçao. 
"Enquanto Comissão Diocesana de Catequese, incentivamos e esperamos que mais catequistas de nossa diocese possa ter essa experiência e participar da Escola Regional", expressa Rebeca Suelen (comissão diocesana de Garanhuns)

 "Segundo informações obtidas no site da CNBB NE2, Os catequistas foram acolhidos nesta quinta-feira (18) pelo bispo de Campina Grande (PB) e referencial para a catequese na CNBB Nordeste 2, Dom Dulcênio Fontes de Matos. Na missa de abertura, o religioso expressou sua felicidade em ver o empenho das dioceses do regional em investir na formação daqueles e daquelas responsáveis por apresentar a doutrina de Jesus Cristo. “No passado, e ainda hoje se diz que o Brasil é maior país católico, mas qual a profundidade do Cristianismo do nosso povo, sem catecismo? Sem a catequese corremos o risco de omitir aquele impulso de conquista missionária, que sempre distinguiu a nossa Igreja, no intuito de dilatar o Reino de Deus”, afirmou Dom Dulcênio."

Ainda durante a homilia, o bispo destacou a importância dos catequistas darem testemunho do Cristo vivo e ressuscitado e sempre recorrerem ao Sagrado Magistério da Igreja. Dom Dulcênio também recordou o exemplo do próprio Jesus que para formar seus discípulos retirou-se com eles. “Da mesma forma, Jesus encontra-se nesta escola para formar os seus catequistas e a eles confiar-lhes a sua doutrina e a sua palavra salvadora”.

 
Indique a um amigo